sábado, 8 de abril de 2017

Carta Missionária (II)


"Caríssimo Celso,
Visitei duas aldeiazinhas. O silêncio impressiona. É cativante!
É um lugar adequado para meditação e adoração.
Estou no coral.
Uma vida autenticamente cristã.
Tenho tempo espiritual de Nazaré.
Desisto de vida pública.
Fecundidade total.
Conheci os trapistas.
Optamos por coisas mais simples.
Não me esqueço de vocês aí dinate do Santíssimo, recordo-me de suas aflições e pedidos de preces.
Reze por mim para que eu seja fiel ao Chamado de Jesus.
Tenho você junto a mim, como todo meu amor, na minha solidão cheia de Deus.
Sempre sua,
Ir. Elizabeth"

Um comentário:

  1. Nem todos sentem o chamamento, é muito ruído nas nossas vidas.


    ResponderExcluir

Deixe aqui seu ardor missionário.